5 de abril de 2013

Sobre a Carne - Na Prática II

Eu não poderia mais ser levada pelos sentimentos. Afinal eu havia tomado uma atitude e feito um voto com Deus. E Deus quando vem em primeiro, ele se torna mais importante do que nós mesmas e também dos nossos malditos sentimentos. 



Vamos ao segundo quadro do que pode vir acontecer agora:



Primeiro eu disse Não para a pessoa. Houve um espanto – uma coisa estranha. Afinal estava tudo “bem” com a gente; Por dentro eu chorava, mas se eu quisesse mudar de vida, eu teria que provar. E seria com atitudes, não com palavras na frente do Altar. Na escola, primeiro a gente estuda toda aquela teoria chata que na maioria das vezes nem usamos no dia a dia. Depois tem o dia da prova. O professor fica em silêncio aguardando o resultado de cada um. Com Deus é a mesma coisa. Deus ficou em silêncio aguardando se o que eu havia prometido, seria verdade. Ali não dependeria de Deus me dá força, nem dEle evitar aquela situação, eu realmente teria que provar e vencer aquilo. Então Deus ficou esperando para ver se Ele poderia ainda me dar um voto de confiança. 

Pois bem, eu disse não e continuei firme no meu propósito. Mas não parava por ali. O pecado continuaria insistido de todas as formas possíveis. Decidi parar de atender as ligações – era para o meu próprio bem, e o dele também, claro. Cada vez que eu resistia, me sentia mais forte. Eu via Deus mais próximo de mim, e como está escrito em Tiago 4:7 “...resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” De fato foi isso que aconteceu. Ele (o pecado) não sumiu da minha vida em dois dias nem em uma semana, esse processo foi demorado um pouco, mas eu estava decidida, embora às vezes eu balançasse, pensava, lembrava dos momentos bons, mas eram esses momentos que estavam me destruindo por dentro...

Destruindo porque sempre que conscientemente fazemos aquilo que não é da vontade de Deus, depois do fato, nos sentimos a pior das criaturas. O diabo faz o favor de apresentar e sugerir o pecado, e depois faz a gentileza de culpar e estraçalhar a pessoa por dentro – ele é especialista nisso. Por isso eu mencionei na primeira postagem, que não podemos aceitar que ele nos faça de cobaia. Então, depois vem um vazio enorme e uma tristeza profunda, uma decepção acompanhada de um turbilhão de pensamentos que o diabo sopra também.

Essa fase é muito dolorosa, porque você quer se ver livre do pecado e toda nojeira desse mundo e é nesse momento que tudo isso parece ganhar mais força contra nós. Isso é bastante evidente, uma vez que sabemos que o diabo não fica contente em perder uma alma. Cada alma pra ele é preciosíssima. Quando ele percebe que está perdendo, ele ataca. Mas, gostaria de ressaltar que a sua vontade é soberana. Se você decidiu realmente não mais servi-lo, ele pode vir com a força que ele quiser, ele pode colocar todos os “auxiliares” dele para trabalhar contra ti, se você decidiu e está convicta, ele não consegue te parar. Somado a essa sua convicção, coloque em prática a Palavra de Deus, além de ocupar os pensamentos com as coisas de Deus e principalmente estar em constante oração. Contar com uma amiga de fé também ajuda, oração nunca é demais. 

Vale lembrar: Se você quer mudar de vida assim como eu fiz, seja radical. Se afaste das amizades que te afastam de Deus. Acho que esse é o segundo passo mais importante. Assim como existem amizades que Deus coloca no nosso caminho para nos abençoar, existem amizades enviadas do diabo para destruir com a nossa vida. Não peça opiniões de ninguém, vá na sua própria fé. Pare de andar na onda dos outros e fazer aquilo que os outros sugerem, ou o que eles acham ser o certo. Quer seguir conselhos de alguém, primeiro analise a vida dessa pessoa. Se for uma vida como a dela que você deseja vai em frente, caso contrário minha amiga, radicalize-se e lute pela SUA vida. Pois se você não fizer, ninguém mais vai fazer.

Amanhã falaremos sobre como firmar os passos na Rocha;  É o terceiro quadro. 
E é a base.

Fique na Fé!






Nenhum comentário:

Postar um comentário