6 de abril de 2013

Preciso firmar meus passos na Rocha


Lembro que quando eu estava passando por este processo, eu comecei esse blog – se você for lá ao início vai ver as guerras que eu passei,  porque tudo eu escrevia. Eu recebi bastante ajuda nos comentários através dos leitores, palavras de força. Muitas vezes eu queria desistir de tudo, pois nem parecia que eu estava na igreja.


Mas todo processo tem começo, meio e fim. Eu não faltava nas reuniões da Igreja, eu era fiel na corrente do vale do sal aos domingos porque o que eu mais queria na vida era me libertar. Eu não queria nem o Espírito Santo eu só queria me libertar, eu sabia que se eu não me libertasse eu jamais seria feliz. O que me dava força, acredite, eram os testemunhos que passavam na programação do programa do Vale do Sal, no rádio. Tinha dias que eu falava que não ia. Mas o rádio estava ligado, então eu escutava os testemunhos de libertação, de transformação e aquilo me dava força. Fiz a corrente até eu me ver livre daqueles malditos sentimentos. Minha visão começou a mudar, meus pensamentos, os meus sonhos....(mas sobre os sonhos eu falo depois).

Cada domingo que eu saía da Catedral eu me encontrava mais leve. Eu estava feliz finalmente! Comecei a me envolver mais com as coisas de Deus, eu queria saber sobre Deus todos os dias. Li quase todos os livros do Bispo Macedo – eu tinha muita sede. Eu queria ser de Deus realmente, eu desejava isso agora. 

Então comecei a “evangelizar”. Eu morria de vergonha, como eu já disse aqui no blog, e eu torcia para que ninguém me atendesse kkkk – sempre sofri de timidez. Isso só passou quando recebi o Espírito Santo.

Com o tempo comecei a ajudar na Força Jovem. Sempre fui prática para escrever, digitar, fazer trabalhos no computador, convites, fotos, então a líder da época sempre me pedia ajuda. Ali começou uma amizade verdadeira – amizade essa que serviu para me alicerçar na fé – comecei a participar dos eventos, vigílias e quando vi já era integrante da Força Jovem.

E o que a minha vida tem a haver com você? 

Pode ser que você esteja passando por experiências parecidas na sua vida. Talvez você não entenda porque não consegue encontrar o que te deixa feliz. Se você está na Igreja sua felicidade é momentânea. Se você está no mundo, se sente um peixe fora d’agua. Obviamente que você é infeliz. O que nos deixa feliz é aquilo que satisfaz a nossa alma. E se você um dia entregou sua alma para o Senhor Jesus, e hoje você está vivendo à sua maneira, está mais do que evidente que você nunca será realizada na vida. Nunca mesmo. Você pode até ter alguns momentos de prazer, alguns dias, alguns meses, mas lá no fundo você sabe; a sua consciência te diz; lá no coração você assume que não era isso que você queria. E isso acaba por virar uma perturbação porque você não encontra a saída.

A saída é simples! Você precisa dar um basta! E mais uma vez eu te digo, não depende de força, depende de atitude. FAÇA!

Lembre-se que o diabo trabalha a partir do que recebe da pessoa. A partir da condição que ela própria dá a ele. Que tal parar de alimenta-lo? Seria um excelente começo já.

Reflita nisso! 

Fique na Fé!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário