12 de novembro de 2012

Resposta


Resposta à pergunta enviada ao e-mail do blog, referente ao texto da semana passada.

Pergunta: 

Como justificar a mim mesma, se sou realmente convertida e não estou sendo enganada? (Amiga) 

Bom, na minha opinião, a pessoa convertida está sempre preocupada com a sua vida com Deus. Ela até tem certeza, mas é sempre vigilante. É como se ela ficasse com o pé atrás; sempre pede a Deus que a converta se ela ainda não é. Sempre pede a Deus para nascer de novo, se ainda não nasceu...Ela não fica achando que não precisa disso ou daquilo. Ela sempre precisa. Ela não fica achando que não precisa aprender certas coisas, há sempre coisas novas que precisamos aprender de Deus.

A pessoa convertida, está em comunhão com Deus todas as horas do dia, não é somente na Igreja. Ela luta pelas áreas da vida dela, mas não se esquece da sua vida com Deus, ela não mistura as coisas.  Ela está sempre preocupada com as coisas que ela anda fazendo e também falando. A pessoa nascida de Deus se preocupa com sua imagem, porque ela representa aqui na terra, o próprio Senhor Jesus. Ela é a Sua testemunha!

A pessoa que é convertida, ela não sente. Ela pensa. Ela pode até amar alguém, mas o seu coração não está nas mãos de ninguém, ela tem a consciência que se o “amor” dela não é de Deus, ela tem coragem de dizer a Deus “Seja feita a Sua Vontade”. Ela tem forças para abandonar amizades que não acrescentam em nada à sua vida com Deus, isso pra ela não é difícil porque agradar a Deus está acima de todas as coisas pra ela, mas ela vigia em suas amizades, até mesmo dentro da igreja.

Quem é nascido de Deus sempre fala a verdade. Sempre é sincero. Não tem medo e nem sentimento. Nascidos de Deus perdoam, não guardam mágoas nem rancor. Por mais difícil que seja, ela perdoa porque é essa a vontade de Deus.
A pessoa que é nascida de Deus não perde seu tempo com coisas fúteis, mas ela procura dar o seu melhor para o Senhor Jesus. Ela não senta na roda dos escarnecedores; ela não tem maus olhos; ela não fica comentando os erros dos outros, pelo contrário, ela ora por eles.

Ela não chama atenção, ela é a própria diferença!

Na fé,
Josi Rocha

blog.josirocha@r7.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário