1 de agosto de 2012

Aliado ou Inimigo


Há quem diga que o tempo é o responsável pelas definições da vida. Precisamos dele para saber qual será o final dos livros, filmes, histórias, etc.

O tempo também mostra a definição da vida real. O ser humano nasce, cresce, amadurece, envelhece e morre. Essa é trajetória natural de uma vida.
O casamento, por exemplo, não se define no altar ou na lua de mel, mas, com o tempo, é definida a solidificação ou a evaporação desse compromisso assumido entre o casal que diz amar um ao outro.
Com respeito ao casamento com Deus não é diferente. Quando nos entregamos de corpo, alma e espírito, prometendo ser fiel a Ele, no comportamento e nas atitudes, diante dos sentimentos e pensamentos, na pobreza ou na riqueza, no dever de ser dizimista e ofertante e no direito de desfrutar de uma vida de qualidade em todos os sentidos, somente o tempo solidifica, ou não, essa entrega feita no altar.

Deus não é vencido pelo tempo. Muito menos se esquece do voto que fizemos por meio de uma sincera oração.
"Eu sou o Deus de Betel, onde ungiste uma coluna, onde me fizeste um voto; levanta-te agora, sai desta terra e volta para terra de tua parentela." Gênesis 31.13

A exemplo do povo de Israel, em sua trajetória à Terra Prometida, temos visto muitos corpos espirituais caídos pelo deserto, vencidos pelo tempo de igreja e de ministério.

Pastores que trocaram a leitura e meditação da Palavra pela lembrança de versículos gravados na mente. Trocaram a inspiração fresca e quente do Espírito Santo pela experiência da repetição de discursos antigos.

Obreiros (as) que trocaram a evangelização ativa, onde suavam a camisa por conta do sol e calor escaldantes numa busca apaixonada pelas almas, pela frieza de ver alguém sofrendo e nem sequer oferecer seu ombro amigo para um desabafo.

Membros que trocaram o temor, a obediência e a fidelidade nos dízimos e ofertas, pela malícia e rebeldia de questionarem o destino tão claro e transparente desses recursos.

Estamos falando de pessoas que um dia viveram o calor da comunhão com o Senhor Jesus, mas, hoje, vivem o gelo do afastamento da presença de um Deus que não foi vencido pelo tempo e nem pela acomodação, e está pronto para receber àqueles que um dia deixaram que o tempo se tornasse inimigo de sua salvação.

"E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo." Mateus 24.12,13

Ou seja, os que perseveraram até o fim e foram salvos, são os mesmos que venceram o tempo.
Que o Senhor nos dê forças para fazermos do tempo um aliado para nosso crescimento e amadurecimento, e não para a acomodação espiritual que nos conduz ao abismo, ou seja, ao inferno.

Deus os abençoe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário