6 de junho de 2012

Amém e Graças a Deus


“Estejam sempre alegres, orem sempre e sejam agradecidos a Deus em todas as ocasiões. Isso é o que Deus quer de vocês. 
1 Tessalonicenses 5:16-18

No início da minha fé, eu aprendi que quando sou injustiçado, humilhado, ignorado, mal-interpretado, julgado, desprezado, passado para trás por algum espertinho, alvo de fofocas e comentários maldosos, olhares tortos, repreendido, corrigido, maldosamente gozado, chamado disso ou daquilo — minha resposta deve apenas ser, “Amém, graças a Deus. Vamos em frente.” Quer dizer, confiança em Deus como Justo Juiz, humildade para aprender qualquer que seja a lição daquela situação.

Hoje em dia, porém, é frustrante ver a reação de muitos dos que se chamam da fé. Dizem: Isso não vai ficar assim. Quem ele pensa que é? Olha só o que fizeram comigo! Ela vai me pagar! Ele não perde por esperar… Mas eu não fiz nada de errado, não é justo! Até aqui fiquei calado, mas agora ele vai ver só… E coisas do tipo.

A atitude geralmente é de rebeldia, autodefesa, justificação, insatisfação, língua afiada, e de buscar alguém que concorde com a dor dele ou dela. Se há oração (“se”, pois muitos se esquecem do mais importante que é orar), é uma oração cheia de mágoa e sentimento de vingança, a qual Deus não ouve, é claro.

O velho “amém, graças a Deus” é cheio de significado e importância. O “amém” quer dizer “assim seja”, “seja feito desta forma”, “deixe estar”, ou “que seja assim”. Ou seja, eu não vou lutar para mudar isso. Não vou ficar me defendendo diante das pessoas, pois senão, faria delas meus juízes.

O “graças a Deus” quer dizer que reconheço que tudo o que Deus permite é bom para mim. Se Ele permitiu que aquela injustiça, calúnia, repreensão etc. me acontecesse, é porque eu posso fazer bom uso dela. Deus não é mau. As pessoas podem ser más, mas não Deus. Por isso, a Ele dou graças, e peço forças e sabedoria para aprender a lição.

Amém, graças a Deus.

Uma frase que tem se tornado cada vez mais rara no meio cristão”.

P.S. Antecipando os que leem e nada entendem, esclareço que há uma grande diferença entre “se defender” e “combater o engano”. Falo acima sobre se defender diante de injustiças, calúnias etc. para benefício pessoal. Combater o engano significa expor as mentiras diabólicas que correm soltas e corrompem os incautos. É dever de todo cristão combater as mentiras, os enganos, e o mau-caratismo que suja a fé pura e o nome do nosso Senhor Jesus. Isso nunca deve ser feito para benefício pessoal, mas sim para benefício das pessoas quem vinham sendo ou poderiam ser enganadas.

Bispo Renato

Nenhum comentário:

Postar um comentário